quarta-feira, 19 de junho de 2013

Crônica: Mulher


Numa manhã de uma quarta-feira qualquer, ela levanta cedo, escova os dentes, põe as roupas de “fitness” e vai andar na praia. Contemplativa, observa as ondas, enquanto caminha, cruza com algumas pessoas conhecidas e cumprimenta-as solicitamente, depois senta na areia e fica sentindo a maresia, curtindo as ondas que quase lambem seus pés.

Levanta-se, anda mais um pouco até chegar em casa.  Faz um café e monta a mesa com bolos feitos no dia anterior, leite e frutas. Já é hora de acordar o filho. Dá um banho, escova os dentes da criança, serve o café da manhã, faz sua mochila e lancheira e o encaminha ao ônibus escolar. Agora sim, vai ao seu banho. Entra debaixo do chuveiro, respira fundo e se aquece na água quente de sua ducha, depois veste seu roupão e ao sair do banheiro encontra seu marido, que ainda meio que dormente, vai começar seu dia.
Ela já está arrumada, maquiada e preparada para um dia de trabalho quando seu marido sai do banho. Os dois tomam café da manhã e conversam sobre alguns compromissos da vida conjugal e do filho. Ela segue para trabalhar, e ele fica mais um pouco, pois entra mais tarde no emprego. No trabalho, ela decide, resolve, faz acontecer. Parece não se cansar com aquele turbilhão de coisas.

Almoça num restaurante próximo do trabalho, mas liga na escola de tempo integral e se inteira da vida escolar do filho. Depois volta ao trabalho: reuniões cansativas, exaustivas; decisões precisam ser tomadas às pressas e precisam ser acertadas; uma rotina, mas com novidades e desafios a cada hora do dia.

Mas a no final da tarde termina o expediente. Então ela vai na escola pegar o filho, tem conversa informal com a professora, depois vai para a casa e prepara um belo jantar no capricho, tipo “todo dia é especial”. Jantar pronto, e chega o marido. Jantam, conversam; daí ela acompanha as tarefas escolares do menino, e o coloca na cama, conta uma historinha, dá um beijo e ele adormece. Depois volta à sala, a TV está ligada, e ela começa a acompanhar, já no meio, o filme que o marido já estava assistindo tranquilamente, e terminam de ver o filme juntos – uma comédia tosca. Riem, se tocam e se acariciam no sofá. O filme termina, tomam banho juntos, fazem amor e adormecem envolvidos. Amanhã é outro dia, e a vida continua na vida de tantas Gabrielas, Marílias, Isabelas, Ludmilas, Marcelas, Lucianas, Sandras, Marias, Joanas, Vanessas, Lindalvas... 



Nilton Lee é escritor, jornalista, assessor político. Editor do Jornal Panorama Regional MA, colunista da Revista Beleza em Curvas, da Revista Acontece Mearim. Poeta inquieto, compositor sensível, vai nos dar a honra de ter suas crônicas deliciosas aqui no Blog da Curve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário