sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Americana engorda 18 quilos para sentir como é ser gorda

A americana Trina Hall, que gerou polêmica depois de ganhar 18 kg para sentir na pele como é ser gorda, conta como foi a experiência

Trina Hall: "Eu era a única questionando o meu próprio peso e isso me surpreendeu" (Foto: Reprodução/ Treenuh Yoga)

O corpo é dela e a vida também. Mas, ao decidir expor o seu projeto de engordar 18 quilos em um experimento, a americana Trina Hall virou assunto da internet.

A professora conta que começou o que chama de "projeto artístico" depois de sua melhor amiga desabafar às lágrimas sobre a batalha contra a balança e dizer que não queria ser conhecida como a "professora de ioga gorda". Trina decidiu sentir na pele o que aquilo significava.
Conversamos com ela por email para entender melhor como foi a sua experiência acima do peso.
Meus 5 Minutos – Algumas pessoas que comentaram o seu post questionaram o projeto dizendo que a sua experiência é totalmente diferente do que vive uma pessoa que briga com a balança a vida inteira ou que está nessa posição por qualquer outra razão. O que você quis provar com o seu projeto e o que acha de quem o questiona?
Trina Hall – Minha experiência não é NADA como a de alguém que briga com a balança a vida inteira. Minha intenção nunca foi me colocar no lugar de ninguém. Eu queria mudar a ideia de que quem pratica ioga tem que parecer uma modelo de capa de revista. Pessoas reais fazem ioga. Aqueles que questionam o meu experimento têm todo o direito de fazer isso. Todo mundo tem uma opinião válida e eu apenas me mantenho fiel a mim mesma e permito que os outros reajam da maneira mais autêntica e verdadeira para eles.
Trina Hall posa depois de ganhar 18 quilos (Foto: Reprodução/ Treenuh Yoga)
M5M – Como o peso extra interferiu na sua prática de ioga?
Trina – Foi muito mais difícil praticar uma forma mais ativa da ioga. Comecei uma prática mais passiva que me permitia alongar o meu corpo. Tudo muda na sua prática de ioga sempre que há qualquer mudança física e eu tentei fazer o meu melhor para me adaptar e sentir minha nova forma. Acabei amando as novas sensações, mas demorei um pouco para me acostumar com elas.
M5M – Em algum momento seus colegas de trabalho e alunos questionaram o seu peso?
Trina – Ninguém me falou nada. Eu era a única questionando o meu próprio peso, e isso me surpreendeu.
M5M – O que a surpreendeu?
Trina – Eu achava que a minha auto-estima estava mais ligada à maneira que eu tratava as pessoas do que como eu era fisicamente. Não imaginava que, na verdade, minha auto-estima estava relacionada com como eu era por fora. Durante a experiência fiquei com medo de as pessoas me julgarem baseadas na minha aparência, mas na verdade eu era a única fazendo esse julgamento.
M5M – No post, você disse que a sua descoberta mais chocante ao longo desse processo foi saber que tem medo de não ser amada. Você estava com alguém antes de engordar?
Trina – A essência do medo foi o de eu não me amar incondicionalmente como achei que amava. Eu estou numa posição muito melhor do que estava durante o projeto. Estou solteira.

M5M – Mas realmente foi mais difícil conhecer alguém quando estava acima do peso?
Trina – É difícil conhecer alguém quando você trabalha o tanto que eu trabalho.
M5M – E a sua melhor amiga que tinha medo de ficar conhecida como a professor de ioga gorda e que motivou todo o seu projeto, o que ela achou da sua iniciativa?
Trina – Ela só descobriu sobre o projeto depois que publiquei o post. Ela tem me apoiado de uma maneira incrível e extremamente amorosa.

M5M –
 Como você acha que a sua experiência pode ajudar as pessoas?
Trina – Espero que as pessoas consigam ver que elas não precisam ter vergonha do seu próprio corpo, independentemente do tamanho.
M5M – Mas você não ficou feliz e segura com a sua nova aparência. Inclusive quis voltar ao seu peso inicial.
Trina – Aprendi que a minha vergonha só existia dentro da minha cabeça. Ninguém além de mim a colocou ali. Como fui eu que criei esta ideia sobre mim, senti que tinha poder de mudá-la. Voltar ao meu peso foi apenas uma escolha em prol da minha saúde. Me sinto melhor fisicamente, mentalmente e emocionalmente desta forma.

M5M – Então porque você sentiu necessidade de perder o peso que ganhou? Foi por causa da sua auto-estima?
Trina – Não. Eu tinha que voltar a uma dieta regulada para me sentir melhor.

M5M – O que você está fazendo para emagrecer?
Trina – Minha dieta é base de vegetais, sucos verdes e peixes. Faço caminhada e pratico ioga. Meu objetivo é me sentir bem, não necessariamente perder peso. Mas já emagreci um pouco. Não sei dizer quanto porque não tenho uma balança.

M5M – Tem achado mais difícil perder do que ganhar?
Trina – Considero os dois processos desafiadores.
M5M – Qual foi a maior lição que tirou desta experiência e da repercussão dela?
Trina – Minha maior lição foi ver que todos nós queremos ser amados e sentir esta conexão com alguém, independentemente de tamanho, forma ou crença. Mas a verdade é que o amor começa dentro de nós, com a conexão que temos com nós mesmos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário