terça-feira, 3 de setembro de 2013

Se eu consigo, você também consegue



Sempre escrevo textos falado de uma forma geral , mas poucos sabem que tudo o que escrevo é um relato do que vivo, sinto e realmente acredito, hoje meu texto será um pouco diferente falarei de mim, mas sei que muitos se enquadrarão no que digo. Recebo inúmeras mensagens de pessoas que dizem que é fácil eu falar de autoestima, amor próprio e superação, pois alegam que eu sou “bonita”, ou não sou tão sofrida ou gordinha, mas posso comprovar que nem sempre foi assim, sou humana, já me senti feia, perdida em meio a diretrizes ditadas por pessoas que padronizam a beleza ao que realmente acreditam ser belo.

Pessoas que determinam que você esta a margem da sociedade por não se enquadrar em determinados padrões sempre existiram e existirão, já me senti o patinho feio da turma, a mulher não desejada, a “ gorda mal amada”  em meio a tantas mulheres “ socialmente” aceitas como belas. Já tive momentos de auto rejeição, baixa estima e falta de amor próprio, passei por momentos de zombarias e apontamento de feiura, isso ocorreu até o momento que me permiti ser vista desta forma.

Certo dia acordei me olhei no espelho e  perguntei pra mim mesma:
Por que você se acha feia? O que pode ser feito pra mudar isso em você ?

Neste momento uma lágrima escorreu de meus olhos, e respondi com uma pergunta:
Você realmente se acha feia ou você simplesmente se permite levar por padrões sociais ditados por pessoas alheias a você? Bom garota chegou a hora de mudar, sim mudar o que pode ser mudado e ter sabedoria pra aceitar o que não pode ser mudado.

Meu biótipo não é de uma mulher magra, logo por mais que emagreça jamais serei magra, mas posso melhorar a forma de me sentir gordinha, pra tanto devo melhorar o que vejo, decidi começar a fazer caminhadas, fazer alguns exercícios físicos, não pra entrar em um padrão socialmente aceito, mas sim pra me sentir melhor comigo mesma, escolhi uma dieta que se adequasse a mim, e me levasse a realização do meu sonho. Já não me importava mais com o que diriam de mim, estou fazendo por mim e apenas pra mim era o que eu dizia e digo diariamente.

Quero melhorar minha imagem aos meus olhos, ao que eu acho belo, sempre achei mulheres gordinhas bonitas, se não estou me sentindo bem com o que vejo devo fazer algo para mudar, e assim comecei a me adaptar a nova fase. Todos dias me olhava no espelho e dizia pra mim mesma o quanto eu era bonita e que estava começando um novo dia onde eu tinha duas escolhas, abaixar a cabeça quando alguém me apontasse na rua ou erguer a mesma e encarar de frente quem me apontasse. O que importava era o que eu sentia por dentro, e eu me achava verdadeiramente bonita.


Com o tempo minha mudança de pensamento começou a exalar novas energias, e as pessoas começaram a
me elogiar, mas sinceramente elogios ou xingamentos não me tinham importância mais, eu não queria agradar os outros e sim a mim mesma, eu queria me sentir feliz comigo, me amar verdadeiramente, me aceitar independente do que diriam, a minha opinião passou a ter a única importância sobre mim, eu tomei controle sobre minha vida e os meus padrões passaram a ser absolutos para o que eu achava belo.

Nunca fiz apologia a obesidade, muito pelo contrário, quando digo que devemos nos amar, nos aceitar, refiro-me a nos cuidar pois este é o princípio do amor próprio. Sei que muitas pessoas que hoje encontram-se obesas tiveram circunstâncias que a levaram a chegar neste estágio, mas que se sentem por vezes impossibilitadas de mudar, acreditem sua força interior é muito maior do que você imagina, não queira o imediatismo, conquiste um dia de cada vez, desta forma tudo fica mais fácil. Amo ser gordinha e me orgulho em ser assim , mas tenho consciência que posso me melhorar a cada dia em tudo o que faço,  portanto, se eu posso fazer o hoje melhor que ontem , por que não me fazer hoje melhor que ontem???

Neste processo de mudança já não me importava mais se me achariam bonita, o que tinha real importância era eu me achar bonita, resolvi melhorar o que eu já achava bonito em mim, mas sempre mantendo a certeza de que nem tudo poderia ser alterado, minha genética é essa. Comecei a mudança internamente, aprendendo a me amar incondicionalmente, e depois exteriorizei este sentimento, com o tempo passei a usar batom , depois delineador, rímel,  mudei o cabelo, comecei a sorrir mais independente dos problemas que me rodeavam.

Não condicionei minha felicidade ao fato de estar com uma pessoa ao lado , pois a pessoa de maior importância em minha vida, sempre esteve comigo , eu mesma, portanto eu resolvi me conquistar, me paquerar, e todo dia ao acordar eu me arrumava pra me encantar, pra que eu mesma me apaixonasse por mim mais e mais a cada dia, me maquiava e olhava para o espelho e dizia pra mim mesma sorrindo :

“ Bora ser feliz e arrasar com mais este dia ???”

Dava uma piscadinha e mandava um beijinho e assim foi dia após dia , mês após mês, e quando me dei conta , ano após ano .

Hoje de fato me amo verdadeiramente, independente de ter um namorado, marido ou paquera ao meu lado, aprendi que o amor que devo ter por mim mesma deve ser infinitamente maior do que posso sentir por qualquer pessoa, aprendi que a força do pensamento faz o “meu mundo” mudar, aprendi que ao me conquistar e me encantar, as pessoas passaram a sentir-se bem ao meu lado e me verem da mesma forma que eu me via, automaticamente exteriorizei o que sentia a respeito de mim, e tudo começou a se modificar, não só a forma de ser tratada pela sociedade, mas também a forma de me auto tratar.

Com as atividades físicas minha mente e minha qualidade de vida entraram em equilíbrio, comecei a me sentir melhor, não só fisicamente mas emocionalmente, e o inevitável começou a ocorrer, minha forma física adaptou-se também ao novo ritmo. Passei a cultivar pensamentos leves,  já não me importava o que diriam de mim, não me incomodava se quando chegasse em uma festa ficariam me olhando de forma negativa, eu sempre entrava de queixo erguido, pois essa aqui sou eu, e isso é imutável, eu de fato me amo, cada curva do meu corpo e cada dobrinha, procuro me melhorar continuamente, mas sempre serei uma gordinha fora dos “ atuais padrões sociais” , contudo, dentro dos meus “padrões pessoais”, e quem quiser estar ao meu lado será muito bem recebido, mas os que não sentirem-se bem podem seguir seu caminho, pois eu não estou perdendo nada com isso, e sim ganhando,  pois terei mais espaço pra atrair pessoas que de fato valham a pena compartilhar momentos

Agora eu pergunto pra você : “ Você está feliz consigo mesmo ??? Se a resposta for sim, me dê as mãos e bora arrasar e se sua resposta for não, me de as mãos e juntos vamos mudar. O impossível só existe até alguém torná-lo possível, faça algo pra mudar, comece com um dia de cada vez, e tenha a certeza de que se eu consegui, você também conseguirá, não importa os padrões que lhe são impostos, o que de fato deve lhe importar são seus padrões pessoais!!!!



Guardo comigo a certeza de que “ Sou gordinha Sim ”, e isso não me impede de ser uma linda mulher feliz, me amo hoje mais que ontem e menos que amanhã, e ao acordar terei a mesma missão diária de conquistar a pessoa mais importante em minha vida – eu mesma.


Bora ser feliz e arrasar com este dia ?








Nenhum comentário:

Postar um comentário