segunda-feira, 30 de junho de 2014

Polêmica: Mamilos


Scout Willis se juntou à campanha FreeTheNipples e andou com os seios completamente à mostra em Nova York em protesto ao Instagram e às pessoas que consideram os mamilos femininos um tabú, mas acham os masculinos completamente aceitáveis. O assunto é polêmico, mas pensando sem nenhum tipo de rótulo: realmente, são apenas mamilos, e os homens mostram os seus à vontade na praia e, às vezes, até na cidade, então por que as mulheres são, literalmente, proibidas de fazê-lo e podem ir em cana por atentado ao pudor? Só a mulher tem de ter pudor?
Quer goste, quer não, outras pessoas de outros cantos também começaram a seguir a mesma linha de pensamento e lançaram suas campanhas. Nos últimos dias vimos uma porção de gente compartilhando nas redes sociais imagens de mulheres usando biquínis com mamilos desenhados. Mas que biquínis são esses e de onde eles vieram? São da TaTa Top e, embora tenham teor cômico, são extremamente engajados. No site, as criadoras da peça, Robyn Graves e Michelle Lytle, escrevem: “Por que as garotas não podem fazer topless? Se você pensar sobre o assunto, qual a diferença entre o mamilo masculino e o feminino? É a questão do peito? É o fato de que das mulheres vem com uma vagina? (…) A quem esta lei está protegendo e do que ela está protegendo? Qual mensagem ela manda para as meninas sobre seus corpos? Que elas deveriam ter vergonha e se manterem cobertas?”
A campanha convida mulheres a defenderem a causa de maneira legalmente e ainda engraçada. Vale seguir o Instagram deles para ver o tanto de mulheres de todas as idades – e até homens – já aderiram ao movimento.

Quem também resolveu dar atenção especial aos seios femininos foi o Museu do Sexo de Nova York. Ontem foi inaugurado por lá uma exibição interativa com altas instalações sacaninhas e entre uma delas está o castelo de seios, criado pela dupla londrina Bompas & Parr. Dentro dele a galera poderá pular e se afogar em peitos e mamilos até o ano que vem. Veja aqui.

Homens reais


sexta-feira, 27 de junho de 2014

História de Moda: A arte de Dior

Dois novos livros mostram como o estilista Christian Dior resgatou a feminilidade na moda e retratam a importância da fotografia em seu trabalho

Nos salões do mítico número 30, da avenida Montagne, em Paris, o estilista Christian Dior deu início a uma revolução na manhã do dia 12 de fevereiro de 1947. Naquela data, quando fez seu primeiro desfile, já com 42 anos, ele apresentou à imprensa sua coleção na qual se destacavam as silhuetas, até então inéditas, com cintura marcada e busto sexy. Coube a uma editora de moda presente cunhar a expressão “new look”, que ganharia o mundo a partir de uma pitoresca sequência de eventos. Reza a lenda que um jornalista de uma agência de notícias ouviu o termo, escreveu-o em um bilhete, atirou-o pela janela a um mensageiro e, no mesmo dia, o vocábulo chegou aos Estados Unidos, onde causou grande impacto. Dior começava ali a escrever um novo capítulo da moda.
As únicas fotos existentes desse desfile foram feitas pela americana Pat English. Começava ali também uma parceria fundamental para propagar o sucesso do artista.
DIOR-ABRE-IE-2327.jpg
MARCO
O tailleur Bar criado por Dior (abaixo),
imortalizado na foto de Willy Maywald
DIOR-02-IE-2327.jpg
A relação entre o estilista e os fotógrafos está documentada no recém-lançado livro “Dior, The Legendary Images”, que acompanha uma exposição homônima no Museu Dior, na França, com curadoria de Florence Muller. Foram selecionadas cerca de 200 imagens feitas entre 1947 e 2014 – 60 manequins vestidos com criações do mestre estão dispostos no local. Os bastidores do primeiro desfile e relatos dos dez anos em que Dior comandou sua maison são objeto de outro livro. “Monsieur Dior: Once Upon a Time”, da prestigiada jornalista de moda Natasha Fraser-Cavassoni, chegará às livrarias no segundo semestre. Para contar detalhes dessa época de ouro, ela entrevistou dezenas de pessoas que conviveram diretamente com o estilista, de ajudantes a vendedoras, e teve acesso a arquivos inéditos da Dior.
DIOR-03-IE-2327.jpg
NA MODA
Acima, foto icônica de Richard Avedon e, abaixo, os
dois livros que retratam o universo da Dior
01.jpg
A revolução empreendida pelo estilista com o “new look” no pós-guerra deixa para trás os dias de racionamento, dos uniformes, das restrições. Dior constrói suas criações como um arquiteto. “Queria vestidos moldados sobre as curvas do corpo feminino”, disse o estilista. “Eu apontava o tamanho, o volume dos quadris, valorizava o busto. Para assentar melhor os meus modelos, dupliquei praticamente todos os meus tecidos com percal e tafetá.” O mergulho da autora nesse universo ganha imagens à altura, com fotos de ícones como Cecil Beaton, Henri Cartier-Bresson e Willy Maywald. As imagens lendárias que contam a história da maison, aliás, realçam o diálogo estabelecido entre moda e fotografia. Grandes fotógrafos como Richard Avedon, Horst P. Horst e Clifford Coffin criaram os parâmetros visuais da Dior – o enquadramento, a luz, a encenação, a atitude da modelo – e influenciam até hoje a atual geração de fotógrafos do mundo fashion.
02.jpg
CRIAÇÕES
Vestido Mozart, de 1950, em foto de Norman Parkinson à esq.
e vestido Turquie, de 1951, em retrato de Cecil Beaton
Fotos: Divulgação

Moda: Quebre preconceitos e revolucione seu jeito de vestir

A moda Plus Size é rodeada de regras e truques que acabam limitando a escolha de peças e looks. Esse receio de errar na produção resulta em looks óbvios e repetitivos. O importante é não ter medo de ousar e valorizar o corpo utilizando as diferentes texturas, cores e cortes das peças. Quebre  seus mitos sobre moda Plus Size e revolucionar seu jeito de vestir!

EstampasAs estampas sempre deixam dúvidas, principalmente quando se trata das tão temidas listras horizontais. Saiba que elas são permitidas para qualquer tipo de corpo. O segredo para usar a estampa, que está em alta no momento, é jogar um casaquinho aberto por cima e usar um colar longo, isso vai quebrar o efeito largo que a estampa cria. Estampas florais, étnicas ou geométricas com fundos escuros e nas versões miúdas, são as melhores opções para mulheres plus size. 



Babados

Muitas dizem que o babado é o maior vilão da moda Plus Size e o motivo é a ilusão de volume que ele pode causar. Esse mito também deve ser esquecido! Se o corpo não tiver as medidas equilibradas, os babados podem ser um ótimo aliado para adicionar volume a região que está faltando e deixar o corpo proporcional. O peplum, aquele babado que começa na altura da cintura, também pode se tornar um grande amigo: além de marcar a cintura, ele define a silhueta.






Peças Ajustadas
Foi-se o tempo em que as mulheres acima do peso tinham que usar roupas largas e de cortes retos. As peças ajustadas ganharam espaço no universo Plus Size e agora deixaram de ser mais um mito da moda. É claro que o bom senso sempre pesa na escolha da peça. Por isso, para garantir um visual bonito e elegante, sem parecer vulgar, a escolha das peças deve contemplar o equilíbrio do visual. Por exemplo: uma peça um pouco mais justa na parte de baixo deve ser combinada com uma blusa ou camisa mais soltinha na parte de cima, e de preferência que cubra a região do culote.





Longos
Os longos têm fama de achatar a silhueta, porém, quem usa essas peças garante justamente o efeito contrário. Para usar vestidos longos não tem segredo: é só marcar a cintura com um cinto fininho e arrasar! Quanto às saias longas, o modelo que mais valoriza o corpo nesse caso é o de cintura alta. Para conseguir um efeito potencializado no look com saia, a dica é combinar com uma peça da mesma cor ou de tons parecidos.



Cores Claras
Aquela história de que quem está acima do peso só pode usar preto, marinho e cinza também é um mito a ser derrubado! As cores escuras disfarçam as formas e por isso criam um efeito emagrecedor. Mas se a peça de cor clara tiver um bom caimento e cortes que valorizem a silhueta, por que não investir?



12 dicas para estar sempre bem vestida

Ser elegante não é, nem de longe, uma missão impossível: com cuidados simples, dá pra ficar impecável e chique sem muito esforço!

1. Descubra seu tipo físico

Esse é o passo mais importante para se vestir bem. Tire as medidas e confira seu tipo de corpo:
- Retângulo - Ombros, cintura e quadris têm as mesmas medidas.
- Ampulheta - Busto e quadril da mesma medida e cinturinha mais fina.
- Triângulo invertido - Ombros são mais largos do que os quadris e as coxas.
- Oval - A cintura, os ombros, as costas e o peito são maiores que os quadris e as coxas.
- Triângulo - Nesse tipo físico, os quadris são bem largos e os ombros são estreitos.

2. Valorize seus pontos fortes

Qual é a parte mais bonita do seu corpo? Descubra e chame atenção para essa região. Se você adora suas pernas, por exemplo, aposte nas saias. Assim, você tira a atenção dos lugares de que gosta menos.

3. Não mostre pele demais 

Usar um superdecote com uma minissaia até destaca todos seus atributos, mas fica vulgar. Se seu objetivo é ficar sensual, deixe apenas uma região à mostra e use um belo salto alto. É mais que suficiente!

4. Reconheça sua idade

O que vestimos aos 15 anos dificilmente continuará legal no corpo quando chegarmos aos 30. A partir dessa idade, é preciso redobrar a atenção: roupas com cortes mais estruturados ficam melhor, porque não destacam defeitinhos como celulite, culote e barriga.

5. Enxugue as medidas

A maneira mais fácil de fazer isso é usar roupas escuras. Mas nada de fazer o look preto total, que deixa a imagem muito pesada! Incremente a produção com uma bela bolsa ou com acessórios coloridos e alegres.

6. Vista seu número

Se você usa roupas maiores que seu tamanho, só para poder esconder as gordurinhas, está cometendo um crime contra si. O mesmo serve para quem veste jeans apertado: destaca justamente o que não deveria.

7. Descubra o poder dos decotes

Os decotes em V e U são perfeitos para quem tem busto grande. Já os do tipo canoa e tomara-que-caia aumentam o tamanho dos ombros e são ótimos para quem tem ombros muito estreitos.

8. Aposte nos acessórios

Eles levantam qualquer modelito e desviam a atenção dos seus defeitinhos. Atente para as combinações - não dá para usar brinco hippie com colar de pérola. Evite pôr tudo: brinco, pulseira, colar, anel, tornozeleira... Você não é uma vitrine!

9. Cuidado com pregas e volumes

Eles podem aumentar ainda mais suas medidas. Por isso, tome cuidado na hora de usá-los. Coloque pregas e volumes apenas se quiser valorizar a região onde eles vão ficar. Uma boa ideia é usar uma saia balonê quando você é reta e não tem bumbum. O efeito é chique e imediato!

10. Tenha peças-curinga

Sempre tenha no guarda-roupa: vestido preto, terninho de cor neutra, casaquinhos de meia-estação, camisas brancas, sapato fechado de salto médio, bota elegante, uma bolsa básica e um bom e surrado jeans.

11. Respeite seu estado de espírito

Quando uma pessoa está triste, procura cores sempre escuras. Quem está alegre usa peças mais vivas. Não quebre a cabeça tentando um look colorido se não estiver num bom dia. Que tal o pretinho básico?

12. Atente para o tecido

Panos pesados, como brim, lã e sarja, podem estragar o visual. Use-os com moderação. Sempre que escolher uma peça assim, combine-a com tecidos mais leves.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Como montar um jardim tropical em casa

Use as paredes da sua casa para criar jardins verticais que ocupam pouco espaço e estão na moda
Foto: Beto Hacker
A varanda do apartamento era simples: uma parede branca, que fazia a divisória com o vizinho, e o chão coberto por cerâmica. Como transformar esse espaço em um cantinho verde, com cara de jardim? Trazer plantas e flores para a casa é uma vontade de boa parte das pessoas que moram nos centros urbanos. E isso se torna cada vez mais possível quando se tem uma varanda, mesmo que pequenina. Neste apartamento, por exemplo, o dilema foi resolvido com a montagem de um jardim vertical. Foi feito o seguinte: o piso de cerâmica, branco, foi coberto por um deck de madeira de demolição na mesma altura do piso da sala. Isso deu elegância e continuidade aos ambientes. Na parede foi colocado um jardim vertical - ótima alternativa para quem tem um espaço com poucos metros quadrados. Uma paisagista montou, então, um suporte de fibra de coco, com algumas espécies tropicais.
São várias as formas de montar um jardim tropical
Foto: Beto Hacker
escolha das plantas vai depender de fatores como a quantidade de luz que o espaço recebe, em que horário bate mais sol, o clima da cidade (quente, úmido, seco) e a quantidade de vento (muito ou pouco intenso). E o gosto pessoal: mais flores, mais folhas, plantas com frutas etc. Nas laterais da parede, foram instalados espelhos, o que amplia visualmente o espaço. A ideia é simples, e o efeito é muito bom.
Qualquer planta pode ser utilizada em um jardim topical
Foto: Beto Hacker
Abaixo da parede verde podem ser colocados seixos rolados, que recebem a água da rega das plantas. E, ainda, spots, que iluminam o jardim de baixo para cima. Resultado: à noite, o ambiente fica deliciosamente agradável e propício para um bate-papo com jeitão de conversa feita no quintal.
Experimente brincar com vasos de diferentes tamanhos e cores
Foto: Beto Hacker

Gordinha, a americana fora dos padrões em Roland Garros

Taylor Townsend está na terceira rodada de Roland Garros

Altas, magras e atléticas. Como passarelas de moda, as quadras de tênis constituem um cenário restrito, onde o "diferente" nem sempre é visto. O mundo fashion rejeita os quilos a mais; de forma análoga - mas por razões distintas -, no tênis competitivo, atletas fora de forma têm dificuldade extrema para triunfar. 
Para toda regra, porém, existem as exceções, casos excepcionais que confirmam tendências. E pelo menos neste Roland Garros essa exceção responde pelo nome de Taylor Townsend. 


Negra em um esporte de maioria branca, Townsend já estaria acostumada a ser minoria. Mais que isso, essa americana de 18 anos ainda esta acima do peso, tem a silhueta notadamente avantajada, em nada semelhante às musas e candidatas a musas que povoam o complexo de Roland Garros. Para uma atleta, está quase obesa. 

Se vista "à paisana", sem raquete e longe das bolinhas, Townsend dificilmente seria reconhecida como uma das 128 atletas que disputaram a chave principal do Grand Slam francês. 

Ela não parece, mas é. É uma tenista profissional, foi uma das melhores juvenis de sua geração, campeã de Wimbledon (em simples e duplas) e do Australian Open. É esperança de sucesso do tênis feminino de seu país no futuro. Canhota, de saque potente, estilo agressivo, golpes potentes do fundo de quadra e afeita a voleios (qualidade raríssima entre as mulheres). 

Bom desempenho em Roland Garros
"Tenho trabalhado muito duro. Minha vida inteira eu tenho trabalhado duro e são por momentos como esse que todo atleta trabalha e que eu tenho trabalhado", disse Townsend, 18 anos, ao New York Times, depois de derrotar sua compatriota Vania King, naquela que foi sua primeira vitória em Grand Slams na carreira, na última segunda-feira. "Estou muito feliz e me sinto afortunada de vencer em minha primeira partida. Mas não estou satisfeita, quero continuar evoluindo".

Townsend estreou com vitória e não parou por ai. Passados dois dias, venceu de novo, desta vez a francesa Alize Cornet. Sua trajetória parou apenas na terceira roda, quando perdeu para a espanhola Carla Suarez Navarro, cabeça de chave número 14 e especialista no saibro.   
A jovem americana foi uma juvenil bem sucedida, mas é "peixe fora d'água" em grandes eventos. Em toda carreira profissional, tem 93 partidas, mas quase todas em eventos menores da ITF (Federação Internacional de Tênis). 

Em torneios oficiais da WTA (Associação de Tênis Feminino), sua história prévia é ainda menor, com apenas duas vitórias antes desta edição de Roland Garros, ambas em Indian Wells, torneio que disputou neste ano a convite da USTA (Associação de Tênis dos Estados Unidos).
O sucesso em Roland Garros pode parecer surpreendente, dado o fraco desempenho de Townsend como profissional. Por outro lado, porém, a trajetória gloriosa nos tempos de adolescentes serve como credencial para esse bom momento em Roland Garros. 
Townsend, desde os tempos de juvenil, tem sempre seguido na direção oposta ao senso comum. Para bem ou para mal.

Quilos a mais, dinheiro a menosEm seus "melhores momentos", Townsend caiu nas graças dos especialistas por seu estilo agressivo e ousado em quadra, nos piores esteve na berlinda por conta de seu ponto fraco, a dificuldade da tenista em manter-se em forma. 

Em setembro de 2012, quando era número 1 juvenil, os resultados de Taylor Townsend mostravam que ela estava no auge; sua silhueta, porém dizia outra coisa. Como de hábito, estava acima do peso e, por isso, viu sua carreira ser boicotada - pelo menos momentaneamente - pela USTA. 

O que já era bom poderia e deveria ser muito melhor. "Como uma atleta gorda poderia estar no auge?", indagava a USTA, que decidiu cortar todo o dinheiro de patrocínio de sua melhor atleta até que ela "entrasse em forma". 

A USTA - além do boicote financeiro - inclusive sugeriu que a tenista não disputasse o US Open juvenil naquele ano, para focar seus esforços na preparação física, mas Townsend bancou e jogou com suas próprias economias.
GETTY IMAGES
A tenista confere seu tablet em intervalo de partida em Roland Garros
A tenista em intervalo de partida em Roland Garros
Townsend não deixou de disputar o torneio, mas dobrou, mesmo assim, seu ritmo de treinamentos. Nada adiantou. A tenista seguiu acima do peso e em seguida veio à tona a notícia de que ela sofria de uma deficiência de ferro. Ao final do torneio, a USTA reconheceu a culpa e reembolsou a tenista.
A controvérsia não resultou no final imediato da parceria, mas o mal estar estava criado e era evidente, especialmente para a tenista, que passou a ser rotulada por estar fora de forma. Meses depois, tenista e associação romperam, mas de forma natural. Townsend se profissionalizou e, naturalmente, passou a trabalhar com sua equipe pessoal.
Hoje, a americana é treinada por dois técnicos diferentes; Kamau Murray trabalha com ela em Washington DC, enquanto a ex-tenista Zina Garrison é responsável pela preparação da jovem em Chicago. 

Futuro
Townsend não é uma "Maria Sharapova", e seu ‘rosto rechonchudo' provavelmente não será disputado a tapas pelas grandes grifes de roupas e perfumes. Seu futuro não parece estar nas passarelas, esse terreno deve seguir restrito às "belas, magras e altas". Seu destino, porém, pode estar no tênis competitivo, onde quer cavar seu espaço entre as "magricelas". 

Até o momento, porém, a única certeza é que ela fez um bom torneio em Roland Garros.
Sobre o futuro de Taylor Townsend, aliás, não se pode aferir quase nada. Dúvidas e expectativas imperam. Será ela apenas mais um desses prospectos de craque que sucumbe ao deixar o tênis juvenil? Será ela apenas lembrada como a tenista acima do peso? Será ela - que foi a melhor juvenil americana dos últimos anos - uma nova Serena? Ou será uma nova Melanie Oudin, jovem que aos 17 anos derrotou uma série de favoritas - Sharapova inclusive - para avançar às quartas de final no US Open de 2009, mas não fez mais nada na carreira.
  
Uma jovem talentosa, mas totalmente fora dos padrões. Por ora, essa é a definição. Seu futuro é uma incógnita. Uma coisa, porém, ninguém pode negar: ela nasceu para jogar tênis. Mesmo que tenha nascido no corpo errado.
Fonte: ESPN

Miss Brasil Plus Size elege as representantes de 2014.

Adicionar legenda
Loira, alta, 85 quilos, Marcela Baccarim, 31 anos, é a nova Miss Brasil Plus Size 2014. A moradora de Londrina (PR) foi escolhida durante evento realizado, no último domingo, 8, no Teatro Paulo Moura (Swift), em Rio Preto. No total, 35 candidatas de diversos Estados do Brasil disputaram o concurso, que está em sua segunda edição. As meninas desfilaram em três trajes (casual, praia e gala).

Nove jurados rio-pretenses avaliaram a beleza, simpatia, comunicação verbal e fotogenia. Na categoria de 18 a 36 anos, Marcela levou a melhor. Como prêmio, ganhou uma joia, que não teve o valor revelado, e será modelo para catálogo de três marcas de roupas no segmento plus size. 

A cearense Ludimilla Holanda, 20, e a moradora de Pirapozinho, Gabi Xavier, 20, ocuparam segundo e terceiro lugar respectivamente. Já na categoria de 36 e 51 anos, a mineira Silvia Neves, 40 anos, ganhou o título de Miss Brasil Plus Size Sênior. Fabia Tonon, 39 anos, moradora de Imbituba (SC), ocupou o segundo lugar. 



Jogadora de vôlei gordinha, Suelen é exemplo para outras garotas


Fora dos padrões das jogadoras de vôlei magrinhas e altas, mas cheia de habilidade e determinação. Com 1,70, baixinha para a modalidade, e acima do peso, Suelen brilha como líbero na equipe do Sesi São Paulo e arrasa nas quadras.
A jogadora, que luta contra a balança desde pequena, contou que o peso já foi motivo de incômodo. "No início, as pessoas sempre perguntavam: 'Mas gordinha assim, você consegue?'. Depois de alguns anos, eu fui evoluindo e isso não me atrapalha em nada, só tenho medo de lesões. Sempre tento abaixar meu peso, mas tenho mais atenção com as partes musculares", disse ela. A atleta explicou que sempre perde de 5 a 6 quilos, mas o biotipo da família não facilita: “Desde sempre eu estive acima do peso, comecei no vôlei aos 12 anos e já estava acima do peso, mas sempre gostei de esporte. Uma vez, um professor de educação física disse para a minha mãe que eu levava jeito e comecei a fazer vôlei”.
Hoje, Suelen é exemplo de que estar acima do peso não impede que uma pessoa faça sucesso no esporte. “As pessoas se espelham em mim e eu acho isso muito legal”, explicou.
Fonte: GShow

Ativista plus size tira roupa para encorajar mulheres a olharem seus corpos de forma mais positiva


Americana ficou nua em um bairro de Nova York para recriar foto de Madonna tirada pelo fotógrafo Steven Meisel. O objetivo é mostrar que o corpo feminino é belo, seja ele magro ou não.

Uma ativista das causas feministas resolveu posar nua no Brooklin, em Nova York, para provar que beleza não tem a ver com magreza. Denise Jolly, 34, recriou a icônica foto de Madonna feita pelo fotógrafo Steven Meisel em uma parceria com um site que valoriza mulheres plus size chamado "Shameless Photography".

"A imagem foi tão sem censura que 22 anos depois ainda vive na minha memória. Mas fiquei perguntando a mim mesma: 'quem sou para ser ousada ao não apenas posar nua em um ensaio, como também compartilhá-lo com o mundo?' Mas a resposta veio imediatamente. 'Quem não sou para compartilhar uma foto artística minha parada ousadamente e sem censura com o mundo?'", disse ao site "Huffington Post".
A imagem de Jolly em nu frontal fez sucesso nas redes sociais e saiu em alguns veículos de imprensa pelo mundo. Mas o trabalho da ativista pela valorização do corpo feminino começou um pouco antes, mais precisamente no início deste ano. Ela criou um site batizado de "Be Beautiful" no qual compartilha imagens dela e de outras mulheres usando roupas íntimas como forma de mostrar a beleza do corpo de feminino.
Além disso, Jolly também critica a ideia de que há apenas um padrão de beleza.Para a ativista, todas as mulheres podem se orgulhar do corpo que têm, independente do tipo físico.
fonte: Marie Claire

terça-feira, 10 de junho de 2014

Penteados possíveis: seis tutoriais para copiar



Coque, trança, rabo de cavalo: Ju Romano, repórter de beleza de GLOSS e autora do blog Entre Topetes e Vinis, te ensina a criar versões lindas e práticas de penteados para usar no dia a dia ou em festas. Confira os tutoriais em vídeo!


Quer levantar a produção, mas não sabe como? A Ju Romano, repórter de beleza de GLOSS e autora do blog Entre Topetes e Vinis, ensina penteados lindos e práticos para fazer em casa e dar um up no visual de seis formas diferentes. Confira cada um dos tutoriais e coloque a habilidade manual em prática!

Coque com acabamento em trança

Foto: Paulo Cardone
O coque é, certamente, um dos penteados mais fáceis de fazer e arremata desde looks casuais até vestidos luxuosos de festa. Neste tutorial, você vai aprender a fazer um coque gordo com acabamento em trança. O resultado é lindo!
>> VÍDEO

Tranças embutidas

Foto: Paulo Cardone
Para fugir do comum e renovar o visual, nada melhor do que investir em um penteado novo. Que tal então apostar em uma composição de cinco tranças?
>> VÍDEO

Coque alto com tiara

Foto: Paulo Cardone
Quer dar uma cara nova ao coque de festa? Aposte no coque alto de Audrey Hepburn. Volumoso e com ares retrô, ele vai levantar a sua produção sem grandes esforços.
>> VÍDEO

Trança embutida com espinha de peixe

Foto: Paulo Cardone
Penteados com trança são ultrafemininos e vão bem em qualquer ocasião. Confira  um tutorial completo que reúne duas versões - embutida e espinha de peixe - em uma mesma produção.
>> VÍDEO

Topete com lenço

Foto: Paulo Cardone
O rabo de cavalo é o penteado ideal para aqueles dias em que se quer levantar a produção. Mas para fugir do convencional faça uma versão que leva topete e lenço.
>> VÍDEO

Coque lateral

Foto: Paulo Cardone
Quer transformar uma trança simples em coque em poucos segundos? A Ju Romano te ensina! Perfeito para qualquer ocasião.
>> VÍDEO

Fonte: M de Mulher

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Modelos plus size e blogueiros se unem para promover o amor e autoaceitação do corpo

Maios Para Todos + modelos plus size e Plus Size Bloggers Promover Corpo positividade

Um monte de pele nua, pouca substância, praia do Caribe - porque todo mundo pensa o mesmo em 'Illustrated do Sport'! A revista americana agora conhecida muito além das fronteiras do país. A principal razão é, certamente, a anual "Swimsuit Issue", ou seja, a edição em que atraentes modelo sem sumários biquínis que levantam em praias de areia branca. Mesmo modelo topo de gama da Alemanha Heidi Klum já foi famosa por suas fotografias na revista swimwear lendária.
Mas por estar na revista, na verdade, só as mulheres que estão selecionados magro e elegante?Mudanças estão longe. A revista mostra apenas modelos com roupas tamanho 34/36, que também estão ainda resolvidos adequadamente com Photoshop e realmente acabam procurando a mesma coisa. Agradável de se ver, eles são, mas pode realmente se identificam com essas bonecas de moda, na verdade, ninguém. Pelo contrário: Muitas mulheres sentem absolutamente inseguro em seus próprios corpos quando eles chegarem para ver as fotos e pergunte-se: Eu sou mesmo bom o suficiente para este mundo?
"Sexy curva los CADA" Calendário positividade Corpo de SFA


Auto-confiante, forte e bonito, eles apresentam seus lados bons em trajes de banho perfeito encaixe e provar: Nenhuma mulher deveria ter vergonha de sua figura na praia! Seja grande ou pequeno, grosso ou fino - cada mulher é linda e deve estar orgulhoso de seu corpo.
Modelos e Bloggers equipa com Roupas de banho parágrafo Que Todos possam CRIAR o "Sexy los CADA curva Calendar" positividade corpo

Talvez todos nós devemos aprender uma lição com estas quatro mulheres fortes. Em vez de estar constantemente a queixar-se apenas sobre o nosso defeito, uma briga com a balança para liderar e para odiar nossos corpos, devemos preferir as nossas vantagens enfatizar amar o nosso corpo como ele é, e confiantemente passar pela vida. Porque a curva mais bonita em uma mulher é o seu sorriso :)
O calendário com todas as fotos de moda praia, há mais de www.swimsuitsforall.com





Entrevista e dicas da Ju Romano

Direto do Blog Futilish

Vocês lembram da Gloss? A revista? Então, eu escrevia regularmente lá e um dia fui naEditora Abril conhecer a equipe e entre eles estava a Ju Romano. Que menina linda. Maquiagem perfeita, cabelo perfeito, look perfeito. E um detalhe que para muitas seria o fim, mas que para ela não passava de um pequeno detalhe, a Ju é gordinha.
Eu já conhecia o blog da Ju mas bem superficialmente e depois que vi essa mulher ao vivo me deu aquela vontade de saber mais sobre ela e como lidava tão bem com a imagem. E claro pensei em vocês, que sempre me pedem dicas de looks para gordinhas e eu me enrolo um bocado, afinal uma coisa é saber as coisas na teoria, mas por na prática nem sempre dá certo. Eu não sou gordinha e visualmente posso saber o que fica bem ou não em uma, mas só quem tem que se vestir todo dia, sendo plus size, tem propriedade para falar sobre o assunto.
Ju Romano é meeeeeega estilosa e fiz uma pequena entrevista com ela, para saber mais como conseguiu se desprender
Você assumiu super bem seu corpo e tira proveito dele incrivelmente, demorou muito para aceitar seu biotipo ou nunca teve esse problema?
Demorei, sim! Sempre digo que não dá para você acordar um belo dia, depois de tanto tempo acreditando que você tem que mudar, e simplesmente se achar maravilhosa. Quando eu tinha uns 14 anos passei por uma fase super tensa, de querer emagrecer a qualquer custo, e foi realmente muito triste. Emagreci e sabe o que aconteceu? Quem não gostava de mim continuou não gostando, já quem gostava de verdade não estava nem ligando para o fato de eu estar mais magra. Ou seja, tanto esforço e tanto sofrimento para descobrir na pele que as pessoas te amam pelo o que você tem por dentro. Claro que é um processo diário de ignorar olhares maldosos e palavras afiadas, mas aceitar que você é unica e que seu corpo é seu e não vai ser igual ao de ninguém é essencial para ser feliz. O processo é diário, mas com o tempo você vai conquistando muito sua liberdade de expressão, principalmente no que diz respeito ao modo como você se veste.
Tem muita dificuldade para encontrar roupa legal?
Há tres anos eu tinha muita, hoje em dia as lojas plus size fazem muuuuita coisa bacana, com pegada de moda. E as lojas de departamento também aumentaram a grade, então é mais fácil mesmo. Claro que tem muito que eu queria encontrar e é difícil, mas a maioria encontro sim. E espero que cada vez encontre mais…
Quais sao as melhores lojas para encontrar roupas plus size?
EU amo a Rery, a Best Size, a Flaminga e a Asos. Mas tenho um roteiro de compras online no blog com 20 lojas MARAVILHOSAS para comprar plus size.
Qual peça de roupa toda gordinha deveria ter no armário? E qual não deveria ter?
Todo mundo deveria ter um vestido básico, uma calça estampada, uma camisa bonita e muitossss acessórios. Eu acho que se você tem uma camisa básica e 3 colares diferentes, pronto! Você já tem 3 camisas novas.
Tem algum truque na hora de escolher a roupa, ou o você veste o que estiver afim de usar, sem neuras?
Eu sempre visto o que eu gosto, na verdade. Acontece muito comigo de eu ver uma magrinha estilosa na rua e querer usar a roupa que ela estava usando, aí vou no meu armário e adapto minhas roupas. Acho que o maior truque é você NUNCA comprar uma peça menor que o seu tamanho. Parou de servir? Jogue fora! Porque aí tudo que estiver no seu armário é certeza de ficar bom, sabe?!
O que você diria para as meninas gordinhas, que tem dificuldade de aceitar o corpo e se restringem de muitas coisas por causa disso?
Eu diria que o corpo é o seu maior instrumento de expressão, se você fica se escondendo, acaba se fechando para muitas possibilidades na vida – em todas as questões, desde amorosas até profissionais. Se permitir usar o que quiser é se libertar. Quem liga qual é o número que você veste? São as outras pessoas que pagam suas calças? Não, não são. E se alguma pessoa te achar gorda, com roupa estranha, etc, qual é o problema?! As pessoas têm diferentes opiniões. É sempre melhor ser você mesma e desagradar algumas pessoas, mas as que você agrada faz isso de verdade, do que passar a vida tentando ser outra pessoa e nunca ninguém gostar de você sinceramente, sabe!? Você passa a vida tentando mudar para agradar as outras pessoas, quando na verdade já está rodeada de pessoas que te amam. E sinceramente, se você não está rodeada de pessoas que te amam porque você é gorda, então troque de amigos!! Não vale a pena perder tempo com pessoas que ligam mais para o que tem por fora do que por dentro…
PÁH!
Agora vejamos os looks lindos que a Ju monta? E pedi para ela falar um pouquinho sobre eles :-)
juromanolook1
Eu sempre amei estampa de onça, me inspirava muito nos casacos antigos, antes mesmo dela virar essa febre da moda.  Então eu nunca tive problemas em usar sabe?! Agora a mistura de estampa com cores fortes é que pode causar um pouco de medo. Eu acho que a gente tem que ousar um pouco nas peças e dar pelo menos um toque de cor ou brilho.
juromanolook2
Essa calça é uma das minhas queridinhas! Eu não sei o que as pessoas têm contra calça estampada sabe?! Eu acho que essa até afina a minha perna hua hua hua. Mas meu grande truque desse look é o blazer longo, cobrindo o quadril, que você pode usar caso queira usar uma calça estampada mas ainda não tem coragem de deixar tudo “à mostra”.
juromanolook3
Sim, essa é A minha favorita!!! Eu acho que para ficar mais fácil na hora de escolher e montar um look você pode jogar toda a atenção para uma região do corpo e deixar as outras “neutras”. Usou as calças coloridas? Combine com peças lisas. Não quer aparentar mais gordinha? Invista nos saltos altos! É tudo muito simples, não precisa ficar colocando empecilhos sabe?!
juromanolook4
Ah esse look acho que é o mais comum entre as meninas que têm vergonha: tudo preto. Mas o legal é que nesse look dá pra perceber a diferença que bons acessórios fazem, né? Ele seria totalmente sem graça se não tivesse colar, anel, óculos, bolsa, etc, concorda?
juromanolook5
Confesso que até eu tinha medo de usar ankle boot. Acho que o segredo é você realmente se apaixonar por uma peça (como eu me apaixonei por essa), que aí tudo que você colocar com ela, vai agradar. Eu gosto de usá-la com leggings ou calças pretas.
juromanolook6
Eu acho saia longa a coisa mais confortável do mundo, acho que todo mundo deveria ter pelo menos 1! hahahaha Eu realmente acho que se a saia for de tons neutros ela é como uma calça preta: vai com tudo. Eu gosto muito de usar com blusinhas e com camisas mais curtas.
juromanolook7
Eu acho ótimo esse look porque ele é A prova de que as gordas podem usar as mesmas coisas que as magras. É só encontrar peças do seu tamanho e perder a vergonha. Tudo pode ficar bom na gente, inclusive um top semi cropped!
juromanolook8
As pessoas acham que gorda tem que usar só roupa escura, né!? Eu acho a maior besteira. Dizem que roupa clara engorda, mas ninguém diz que roupa clara também ilumina e deixa a pessoa muito mais bonita. Aí se eu não estiver ligando para engordar ou não, quero mesmo é ficar iluminada, alegre, sabe?! O branco é ótimo pra todo mundo, principalmente no calorão.
juromanolook9
Essa tem a saia curta e a estampa na horizontal, que dizem ser tabus. Eu não ligo e acho que quando a peça combina no look ninguém repara se você está maior ou menor.
juromanolook10
Esse é do short origami, que é o maior exemplo de que tudo pode ficar bem em gordinha desde que a peça seja do nosso tamanho. Esse é um short 48 que ficou certinho pra mim.
juromanolook11
E esse look acho que é ótimo para as leitoras que estão começando, simplesmente porque ele prova que dá para se vestir de forma alegre e bonita sem mostrar muito do corpo (caso a pessoa tenha vergonha sabe?). A saia é no joelho, a blusa é de manga e o salto é mega confortável. Tudo que uma gordinha que ainda não quer mostrar muito precisa! E mesmo assim é tudo cheio de vida.
  • Quem aí ficou fã da Ju?? E o blog dela tem MILHÕES de outros looks lindos e inspiradores, além de várias matérias super interessantes para quem é plus size!
  • Muito obrigada Ju, sua LINDA.