sexta-feira, 4 de julho de 2014

Especial Top 10: os melhores momentos da temporada masculina Inverno 2014

A temporada masculina terminou com boas propostas para o próximo Inverno. De Londres a Paris, as marcas mostraram seus lançamentos, muitas vezes defendendo o que a capital oferece de melhor: em Londres, é a criatividade e a energia jovem; em Milão é a manufatura e a moda clássica; e em Paris é onde se concentram os principais estilistas, aqueles que são responsáveis por levar a moda adiante e estabelecer novos rumos. Por isso, em nosso ranking com os 10 melhores desfiles, oito aconteceram em Paris. Pegue aqui o atalho para todas as coleções
O foco nos casacos é o principal ponto dessa temporada. Dos luxuosos em cashmere, aos sobretudos clássicos e às parkas utilitárias, os casacões são maiores, têm mais volume e comprimento abaixo dos joelhos.
Outra preocupação é inovar a imagem da moda masculina a partir de uma maneira mais fresca de usar a roupa do dia-a-dia. Blazers, jaquetas e trenchs são usados de forma mais relaxada e menos formal. Muitas vezes o segredo do sucesso está na mistura com elementos esportivos ou que dão ao look uma estética prontamente mais easy, como os lenços jogados nos ombros que apareceram em coleções como Burberry e Haider Ackermann.
Veja abaixo as escolhas do nosso Top 10. Para ver os desfiles completos, é só entrar no link da marca respectiva.
1. VALENTINO
Os estilistas Pierpaolo Piccioli e Maria Grazia Chiuri estão hoje entre os mais eficientes da indústria de luxo. Sob suas mãos e mentes, a Valentino consegue criar peças de altíssimo nível e ricas em detalhes, acabamentos e materiais, mas despretensiosas. Em um mesmo desfile, há casacos dupla face em cashmere ($$$$$), calças jeans e suéteres de lã. A dupla monta o guarda-roupa ideal, que contempla diferentes estilos de homem e tem como destaque ótimas opções de casacos e jaquetas, dos cinzas clássicos aos camuflados mais modernos ©Imaxtree
2. LOUIS VUITTON
Elegante, com ondas que emitem a sensação de conforto e leveza para o Inverno. Adicione a essa mistura um toque de streetwear que aproxima sempre a marca de um público mais jovem e a Vuitton fez uma de suas melhores coleções masculinas recentes. O estilista Kim Jones viajou para o deserto do Atacama, no Chile, e ainda para Cuzco e Machu Pichu, no Peru, e de lá trouxe a estética indígena latino-americana a qual nós já estamos acostumados. As paisagens inspiraram a cartela de cores e os materiais usados, como a pele de vicunha, que será vendida apenas sob encomenda. Trench coats e parkas, em especial as listradas do início e a azul cobalto, mostram com quantos casacos se faz um bom inverno ©Imaxtree
3. DIOR HOMME
O desfile começa com um link super tradicional da alfaiataria masculina: o terno em risca de giz. Mas logo no segundo look, alguma coisa está fora da ordem: os sapatos pretos lustrosos têm poás brancos. O estilista Kris Van Assche fez uma boa coleção usando as listras e polka dots nas mais diversas formas (largas, estreitas, bordadas) que tomam gravatas, camisas, sapatos e ternos, culminando no look total de bolinhas (alô, Messi!). Como se vê, há espaço para a formalidade e para o bom humor, onde ficam também as peças em jeans que flertam com o streetwear. A coleção é diversa e oferece peças e ideias para muitos tipos de homem. Como disse Van Assche, “não existe apenas um tipo de homem”. Bravo ©Imaxtree
4. DRIES VAN NOTEN
Dries é um dos estilistas mais adorados pela imprensa de moda. Gênio das padronagens e grande colorista, ele fez uma coleção que tinha como referência tribos musicais, como skate, punk, techno (essa a mais visível) e rave. As cores, de novo, têm muita importância, mas são trabalhadas de maneiras diferentes, com técnicas de tingimento como tie-dye (quando se amarra o tecido e mergulha no tingimento, as cores ganham um efeito manchado) e dip-dye (o tingimento é realizado encostando uma parte do tecido na tinta, podendo repetir a operação diversas vezes em tons diferentes para conseguir o efeito desejado), que resultaram em um exército de cores em padronagens não repetidas. A imagem que fica é uma das mais andróginas da estação, com foco em roupas utilitárias, como jaquetas, parkas e calças com muitos zíperes, botões e bolsos ©Imaxtree
5. BURBERRY
Chamada de “A Painterly Journey”, a Burberry mostrou uma coleção forte em calças e casacos e que usa os lenços de seda como ótimo recurso de styling para os meninos. As bolsas também são muito bonitas e aparecem como uma opção mais feliz e autêntica às tradicionais de couro escuro ©Imaxtree
6. RAF SIMONS & STERLING RUBY
Criada em parceria com o artista californiano Sterling Ruby, a coleção foi uma das mais fortes da temporada. Raf, um mestre na combinação de cores, inseriu tons e estampas de uma outra maneira, sem perder a identidade de sua marca. As peças de silhueta minimalista que fazem parte do seu DNA ganharam a vibração artística de Ruby, que fez das roupas telas para suas pinturas, colagens e estampas. As duas estéticas tiveram um encontro feliz e autêntico, com foco na arte, mas ainda assim criando peças desejo, como os lindos casacos estampados que remetem a imagens do céu. Streetwear de primeira ©ImaxTree
6. SAINT LAURENT
A estética rock glam mais uma vez domina uma coleção da Saint Laurent. Após o tratamento de choque que deu quando assumiu a casa francesa, Hedi Slimane conseguiu transformar essa ideia em sua marca registrada, criando um estilo e, como temos observado, desejo. A Saint Laurent hoje faz roupas para serem usadas por meninos que dividem esse gosto com Slimane; e há muitos deles por aí que topam um lurex colorido, uma jaqueta de onça e a calça mais skinny que a gente já viu. Peças para um dia-a-dia mais “envenenado” ©Imaxtree
8. HAIDER ACKERMANN
Gênio das proporções lânguidas, Haider mostrou uma coleção rica em texturas e camadas. Com sobretudos volumosos, echarpes caindo pelo corpo e jaquetas com os braços longos, é nesse jogo confuso da silhueta que está sua marca registrada e seu charme. Mas a imagem que fica é romântica e artística e, por trás de tantos layers, há bons cardigans, boas parkas e modelos de calças que vão do skinny à saruel ©Imaxtree
9. RICK OWENS
Mais um desfile forte do estilista americano, que sempre leva a imagem de moda para frente. Se tem alguém que propõem algo verdadeiramente moderno e autêntico, Owens é dos primeiros nomes. Ele não se apega ao dia-a-dia, às estações ou às necessidades e desejos das pessoas. Simplesmente desenvolve uma ideia profundamente, criando exércitos da “estética” Owens, que é bastante cultuada. Nesta estação ele trabalhou com o conceito de autoridade e mostrou macacões com cós hiper baixo, mais abaixo a que estão acostumados os L.A. Gangsters, que aparecia nos lenços de cabeça dos modelos. As peças de Owens fogem de seu lugar comum. Uma camiseta não é uma simples camiseta. São apenas vestes, armaduras e tecidos que envolvem o corpo com uma forte ideia e construção por trás ©Imaxtree
10. GIVENCHY
O homem forte por trás da conexão moda-rua atual, Riccardo Tisci mostrou um Inverno 2014 bastante esportivo e usável, em um cenário que imitava uma quadra de basquete, principal referência da coleção. Com um visual que transita entre o sóbrio e o easy, calças e jaquetas de veludo, parkas de couro, moletom com capuz e calças mais amplas e com cós baixo estão entre as peças que vão ser consumidas pelos seguidores fieis da marca, tão logo elas chegarem às lojas ©Imaxtree
fonte: FFW

Nenhum comentário:

Postar um comentário